Os vampiros

Os vampiros
Sugaram-nos por décadas,
E agora, por abéculas,
Andam aos tiros!!?

A ver s’acertam
Em quem dá cumprimento,
E pr’a ver s’o aumento
Colectam!

É melhor ganhar
Do que dar o braço a torcer,
Diz-nos o vampiro, sem mais nada querer
Qu’ajudar!?

É melhor ganhar uns cobres
Do que nisto arranjar problemas,
Porque senão temos anátemas
De que nisto seremos pobres!?

Coitada da nossa imagem
Por nisto darmos o mote,
E qu’o fraco se tenha forte
Em tal coragem!?

E nisto s’anunciar
Que temos, sim, que ceder,
Porque senão vamos perder
O que já não podemos ganhar!?

Com gente desta laia
Que sempre foram vampiros,
Nunca teremos artilheiros
Pr’a lutar em tal raia!

São os primeiros a fugir
Na “bondade” das palavras,
Que neles são apenas escravas
Do que nunca fizeram cumprir!!

Tantos anos d’enganos
A destruir o sistema,
E agora seria esta gente, pequena,
A promover outros planos?

E nisto dar-nos assessoria
Pr’a ganharmos o pechisbeque,
Que tod’o vampiro faz o frete
Voando de noite ou de dia….

E de cada vez que cruza
Nisto o espaço aéreo,
Ainda se toma por sério
Em tal lábia abstrusa!!

Quem nisto não os conhece,
Aos vampiros cá da casa,
Não sabe o que perde por asa
No acordo qu’os favorece!

Eles que não o pagando
Fazem dele gato-sapato,
E nisto “não partem um prato”
Porque só o cumprem somando!!

Esta gente vampira
Qu’agora sai a terreiro,
Notem-lhe o espólio “guerreiro”
De quem nada nos dando, nos tira!!

Eles falam de cor
Julgando que não os ouvimos,
E que nisso já os esquecemos
Na sua ausência de cor!!

Essa constante procura
Do sangue que se nos esvaiu,
A eles só lhes serviu
Pr’a lhes matar a secura!!

E agora na oportunidade
De nova bondade sanguínea,
Lá vem a horda assassina
Tomar-nos a consanguinidade!?

Que se nos dizem iguais
Dessa luta em desespero,
Mas pr’a eles o tempero
São os direitos excepcionais!

O que se pode beber
Da regra da violação,
E dar-se-lhes o seu quinhão
Do sangue qu’o faz viver!

São a horda de morcegos
Que já esvoaçam sobr’a vítima,
Que pr’a eles, a legítima,
São os nossos próprios empregos!!

Tudo bebem por sanguinários,
Os nossos direitos, razões!!
Qu’eles vivem de violações
E dos seus litros necessários…

É deixá-los “dar a cara”
Nestes momentos de combate,
Pr’a saber ond’a corda parte
De cada vez que se pára…

Joker

9c02aa36-8703-4a0b-9863-b68b957553cf

 

Anúncios

Posted on 29 de Junho de 2017, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s