A vedeta

O homem é uma vedeta,
Quase um astro de cinema!
E o que nisto tenho pena
S’ele cair na valeta…

O actor nisto mais sério
Que d’amizades exulta,
Se se revela em tal culpa
D’escolhas no mundo aéreo!?

Que pena qu’eu lá vou ter
De ver cair um tal astro,
Porque ele deixou rasto
De como sabia viver!!

Um Pirata das Caraíbas
Na Fábrica de Chocolate,
Um “actor” também s’abate
Por causa das cenas “perdidas”?

Oh, que pena qu’eu vou ter
De não ver já este actor,
Ali a gravar, com pudor,
A cena que tanto andei a ver!

Ao longo de tantos anos,
Sempre lá via o mesmo filme!
E ao nosso actor, o qu’o define
Em tantos planos!!

Em cenas de grande assalto
A favor do seu compincha,
E da mulher que s’anicha
Ao palco!?

Que pena que se perca
N’arte de representação,
O pirata, c’o ouro na mão
A saltar a cerca!!

A corrida p’la praia deserta
À frente dos seus captores,
Que perto dele eram amadores…
Pois ele estava sempre alerta!!

O pior é o registo
Da fonte cinematográfica,
E que se lá veja, por metáfora,
O imprevisto!!

A cena tão mal filmada
Que se pensava no corte,
E nosso actor dar-se à morte
Só por causa da golpada!?

O astro que se vai perder
“Só por causa dumas cenas”,
Qu’elas não foram pequenas…
Mas nisto pôr o barco ‘arder!!?

E ainda agarrado ao mastro
A gritar p’la vida!?
Qu’ela lh’era muito sofrida
Até ser actor e astro!?

O que vai chorar Hollywood
Vendo cair o nosso Jonnhy!
E logo atrás ir a Bonnie
No mesmo mood!?

Quem vai depois criar élan?
Quem vai escrever sobr’a vida?
Quem  fará uma cena corrida
C’o mesmo “Tcharammm“!!?

O que se vai perder de classe
Na meca do nosso cinema,
Porque já não se faz a mesma cena
Na sétima arte!?

E o que lá venha em sorte
Na sua carreira d’actor,
Vem no sibilo de rumor:
É uma cena de “morte”!

Vai “morrer” o nosso actor
Com’o peixe p’la boca,
Pois qu’a cena de tão louca
Teve mau realizador…

E o filme já não esgota
Par’a mesma audiência,
Qu’ela se tem em insuficiência
De nota!

E sem votação que se tenha
Par’a nisto ganhar o prémio,
O pirata, o boémio,
Já não é filme que se veja…

Uma tão longa carreira
Merecia o prémio final,
E isto não acabar mal
Pr’a sua carteira…

Ainda sobej’a esperança
Pr’a se rodar uma grande produção,
Mas o promotor já não quer “acção”,
Mas um filme de “liderança”…

E iss’o nosso actor
Não sabe representar,
Pois qu’ele tem muito pr’a dar,
Mas pouco com critério e rigor…

E tendo que contracenar
Com outros actores de má peça,
Qu’isso ninguém lhe peça
Para se ficar!!

E um actor de “mão cheia”,
É nisto benevolente,
E sempre deu a tanta gente
O seu pé-de-meia….

Qu’agora em final de carreira
Fazer nisto uma inversão,
É como fazer um filme d’acção
Sem a carteira cheia!

E nas “caraíbas”
É que se filma bem,
E o pirata ganha, também,
As suas sete vidas!

Mas já sem orçamento
E com outra direcção,
Não há outro filme d’acção
Que lhe dê sustento!

E o nosso grande actor,
Com outra realização,
Terá a sua consagração
Já no teatro amador…

A grande-metragem
Será coisa do passado,
E o processo, lá filmado,
Em processo de montagem…

Joker

Jack

Anúncios

Posted on 23 de Março de 2017, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s