Carta ao Pai Natal

Caro Pai Natal,
O que me porto bem!
E não há nisto ninguém
Que me seja igual!!

E peço-te este Natal
Uma coisa singela:
Não ficar a meio da tabela
No campeonato de Portugal!?

Quedar-me c’o terceiro,
Quanto muito c’o quinto,
E é-me indistinto
Ver o benfica em primeiro!?

Tu sabes quanto me resigno
A ter qu’admitir tal facto,
Mas se ficar em quarto,
Eu desde já assino!!!

E vem com alarido
Doar-mo p’la chaminé,
Qu’eu já não dou fé,
Por estar mal dormido….

Podes gritar “Feliz Natal”
Qu’eu não vou acordar,
Qu’eu quero hibernar
Pr’a outro “local”,,,,

Ah, traz-me um tapa-ouvidos,
Como prenda acessória,
Pr’a não ter qu’ouir a mesma história
Dias seguidos…

C’o benfica campeão
Vai ser uma mar de festa,
E Portugal, é desta
Qu’abate a inflação!!

E ouvi-los a gritar
“Gloriosos”…
Em gritos langorosos
A ulular…

Não tenho capacidade
D’os aguentar mais um ano;
Arranja-me um plano
De liberdade!!

O meu Porto
Já não é essa “terra”,
Porque morreu na guerra,
Absorto….

Um mero moribundo
Arrastou-se no Restelo,
E eu a vê-lo
Sem mundo…

Uma triste notícia
De “fim d’época”,
E dessa triste réplica
O Porto é um peluche, uma pelícia!!…

E sabes que pr’a bonecos
Já não tenho idade,
Que na minha mocidade
Também vi tais “matrecos”!?…

O tempo volt’a atrás,
À época “gloriosa”,
E a malta anda gulosa
Com tanto ás!!?

Os “benfiqueiros”
Já são aos milhões!!
E mostram-se foliões
Como primeiros!!!

Não os via inúmeros
Desde há três décadas;
Nunca imaginei tantas cabeças
De mouros!!?

Houve a reconquista,
Ou foi só simulacro?
O país é sacro
Ou maometista?

Traz-me um turbante
Pr’a me disfarçar,
Qu’eu ando a jejuar
Bastante…

E não há volt’a dar
Só c’o Espírito Santo,
E e eu não creio tanto
Qu’ Papa vá voltar!!

Qu’o Porto já morreu
É dose de cavalo,
Mas maior é o abalo
Qu’o benfica é o céu!!

Dá-me outra opção
Como prenda,
Não sejas uma lenda
Ou fabulação!

Arranja-me uma vaga
No campeonato,
Qu’eu dou de barato
Esta aziaga!

O quê?
Não és milagreiro?
E o lugar primeiro
Já se te vê?!

Ok, só um bilhete
Pr’a qualquer lado!!
Qu’até em jogo-jogado
Isto é um frete!

Não há nad’a fazer,
Trás-me “Rennie”,
E fico-me por aqui
A dissolver…

Joker

Posted on 27 de Novembro de 2016, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s