Cap II – A Bonança (Auto dos navegantes)

Capitulo II – A Bonança

Aporta a barca a Marrocos, depois da levada de ventos e outros sofrimentos; achega-se o Capitão à proa:

Capitão – Ah, finalmente a bonança… Qu’isto me dá confiança para ir mais além, e haja alguém que me tire agora a liderança!

Imediato – Sempre acreditei, meu Capitão! O tempo, esse ladrão, quer-nos sem lei nem provimento!

Pequeno-Capitão – Que bela terra, a de Marrocos! Veja Capitão, quantos cachopos nos vêm comer à mão! Aqui hei-de vir c’a minha esposa, qu’é boa moça e, nada gulosa de se porvir! Basta-se com uns cus-cus, c’umas alcaparras e, umas poucas parras d’ovos d’avestruz!

Piloto – (Isso comem os gnus!) – Diz em contrabaixo o nosso piloto que, sendo maroto, não lhes rap’o tacho…

Capitão – Anda cá ó Dino, o raio do cão! Não lhe deram a ração, qu’ele está sem tino! Não pára de ladrar, o raio do cão, o qu’anda a rondar aqui na contramão??

Imediato – É a barca mourisca, que nos vai abalroar! Há nisto qu’os parar, senão não há terra à vista! E com tanto canhão a sair dos alçapões, não serão os trovões a nossa perdição…

Capitão – É de marcha-à ré, e sair de Melilla! isto é uma armadilha de má-fé!! Vamos, tudo avante, pega no sextante e levanta-me a quilha!!

Imediato – Ai, meu Capitão, qu’é desta! Isto era uma festa, e agora o que s’apresta??

Pequeno-Capitão – Ai, estes mouros, piratas! Ímpios, iconoclastas! Que se nos roubam os tesouros!! Longe, longe, tais agouros!! Mas… parece o Barba-Roxa, que s’arremeda na proa!! Fujamos, fujamos pr’a Lisboa!!!

Piloto – É pr’a ond’a nossa rota? Já há definição? Vou na optimização ou dou a volta?

Capitão – Vai em frente, cretino!! Foge ao teu destino inclemente!

Imediato – Meu Capitão, há uma escapatória! Tomemos a trajectória manual, qu’este barco se tem dual na sua história! É navegar, sem se parar, e programar só de boa-memória!!

Pequeno-Capitão – Que bela ideia! Fugir à teia, içando a vela!!

Piloto – (É mais do mesmo, é sempr’a esmo…)

Capitão – Vamos em frente, qu’atrás vem gente, pr’a tomar o saque! É fugir ao ataque dos marroquinos! Assassinos!!

Imediato – Não chegámos a Porto Seguro, mas chegados a Lisboa, já s’porta o barco à proa até Outubro. E depois com tempo ameno, já preparamos o “terreno” …

Pequeno-Capitão – E aumentamos o botim!!

Piloto – (Vai sobrar pr’a mim…)

Capitão – …E navegamos a Coxim!!

Dino, o cãoCaííímmmmmmm, caííímmmm!!!!….

Navega a nau a tod’a bolina de regresso a Lisboa e, o Capitão na sua proa observa como os piratas marroquinos dão meia-volta a Melilla, perdida a presa no rasto da sua navegação sinuosa…

Capitão – Terra à vista! Eis que terra mais linda; o promontório de Belém! Ámen! (E qu’esta viagem, já finda, não seja percurso inglório a tal conquista!)

Imediato – Que felicidade, Capitão! Ponha-me aqui a mão!! O que me bate o coração em liberdade!!

Pequeno-Capitão – Hurra, hurra!! Mil salvas ao Capitão! Que nação caturra!!!

Piloto – (…e burra!)

( Continua)

barcos-piratas

Anúncios

Posted on 25 de Novembro de 2016, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s