Ex-porcos a voar!??

Diz-se qu’avareza
É um pecado capital,
O que nosso recanto conventual
Vale como esperteza!

E agora que há dinheiro
Pronto a ser distribuído,
Quero ver qual vai ser o convertido
A mostrar o mealheiro…

A reclamar igualdade
Perant’os que pagam quotas,
Que não lhes bastam as bolotas
Da “consanguinidade”…

E a reclamar por lucro
O que há agor’a distribuir,
Porque isso convém repartir
Por bruto!?

Qu’é uma ilegalidade
S’a distribuição não é plena,
Porque isso aliena
A nossa fraternidade!!?

Que somos todos colegas,
Dizem-mo com entoação,
Mas escondem a negação
Das nossas regras!!

E no vínculo do “negócio”
Que regeu o sindicato:
O dinheiro, pouco ou farto,
Er’a carteira do sócio!!

Tido como associado,
Na parte qu’o todo faz,
Que só nisso é capaz
Um documento assinado!!

Os que só veem a portaria
Na senda do seu umbigo,
Queriam o dinheiro distribuído
P’la mesma via?

E os que pagam as quotizações
No sustento desses pactos,
Recebiam como patos
Pr’a alimentar os leões!?

Esses falsos moralistas
Agora querem dinheiro,
E de traje financeiro
Já se queriam nessas listas!!?

E outros associados
Que mais não fazem que violar,
O acordo sem parar…
Por mim é serem vetados!!

E declamar-se a expulsão
De quem violou por anos,
Que nisto não há maiores enganos
Na sua identificação!!

A prova é abundante
Pr’a tod’o associado ver,
E nisto se decidir
Se se dá repartição a tal gente!!

Os que não têm sequer pudor
Ao serem notificados,
Querem-se agora “majorados”
Como tod’o normal cumpridor…

É só por normalidade
Que s’afere tal decisão,
Qu’a regra não é excepção
No curso da liberalidade!!

E que receba quem sofreu
Na pele a redução,
Qu’ao resto a compensação
Já se lha concedeu…

Anos e anos de “fadigas”
Em destinos e horas duplas,
E sem quotas e mais culpas
Pr’a encheram as barrigas!!

Venham agora reclamar
O vosso quinhão do vencido,
E qu’o façam de punho erguido,
É o que me faria grisar!!

Os sindicalistas de gema
Qu’os fazem sem pudor,
Dizem que também o seu suor
É um emblema!!?

Os nossos peixes-balão,
Os Imperadores e as Santas,
Os vampiros e os mantras,
Ainda reclamam quinhão??

Os qu’obrigavam ao serviço
Na mínima, por coerção,
Ainda querem o dobrão,
Qu’a vergonha não tem preço!!

Venham pois lá reclamar
Na Assembleia, a avareza,
Que se vos fará a fineza
De se vos pagar!!

E por tantos anos de labor,
Recebem mais, a dobrar,
Porque nisso de colaborar,
O saldo é maior!

E recebem à comissão
Por tantos anos de serviço,
Que só à conta disso
Levam um milhão!!

E nisso podem vingar
Tantos anos de trabalho,
E depois montam um talho
De ex-porcos a voar!!!

Joker

ex-porcos-a-voar

 

Posted on 17 de Outubro de 2016, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s