Ameaça processual

Sou de novo visado
Em ameaça processual,
E tanto se me dá por igual
Ser processado!!

O delito d’opinião
Virou pois moda,
Nesta grande roda
Da informação!!

E não visados
Têm-se autores,
Em poemas “castradores”
De tão culpados!?

Queriam batatas
Por confirmações,
E outras afirmações
Inatas!

Ser-se “poeta”
Em tão grave dito,
Dá quase um escrito
Por processo, à certa!

E nisto visado
Em tais ameaças,
Sou nessas caraças
Um arguido usado!

E lá vou responder
Qu’a liberdade poética,
Tem menção da métrica
E pouco mais saber…

Qu’a imaginação
Feita de certezas,
Dá-me mais subtilezas
Qu’a própria entoação!

E se quem se visa
Porque nisto se revê,
Não é porque me lê,
Mas é em si poetisa!?

Nessa presunção
De qu’o poema é seu,
Toma do autor o Eu
E faz acusação!?

E se não ilustra
Essa prova forjada,
Quer-se de nomeada
Por justa?

Pois qu’assim seja
Que me sei defender,
E não vou parar d’escrever
Porque há quem se reveja!!?

Joker

Delito

Posted on 9 de Junho de 2016, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s