A clientela

Têm carta de bar
Mas, em ocasiões especiais,
Também têm comensais
A papar…

E nos aniversários
Pr’a celebrar o sucesso,
Fazem lá um “congresso”
De comentários…

Na página do bar
São muit’os convivas,
Qu’ali provam comidas
De paladar!!

Menu de degustação
E a boa da Cachupa!
Qu’ali ninguém tem culpa
De ser glutão!!

À vista de quem quer
Comenta-s’o convívio,
E há tanto amigo
Que lá and’a comer!!

É um bar de sucesso
E parece Restaurante,
E lá não falta gente
Pr’a pagar tal preço!!

Que grande lista
De tantos notáveis,
E momentos agradáveis
À vista!?

Que carta de bar!!
Que belas bebidas!
E o paladar das comidas?!
Que bonito par!!

Como recebe bem
Esta bela dupla,
E já não há desculpa
Pr’a não comer também!!

Que no aniversário
A comida é farta,
E a clientela não falta
Em tal bar no horário!!

E nessa vitrine
De tanta satisfação,
Há um forte padrão
De crime…

Oh que chatice…
Tant’a gente à vista!?
E em tal grossa lista
Tanto VIP de cálice!?

É pois sim beber
À saúde e sucesso!!
Que já vos sai o preço
Desse “conviver”!

E na correlação
Das “coincidências”,
Far-se-à evidências
Por pura dedução!!

Que lá vist’o “neto”
Do santo lisboeta,
Como membro da “grupeta”…
E por sonso, o esperto!

Qu’ainda mais beato
É ver a mãe e o filho,
A encher o bandulho
Em tal prato!!

E ainda aspirar
A visitar a América,
Na pergunta histérica
Perante’o bar!?

E o “sindicalista”
Em pródigos comentários,
Que tidos por hilários
Fazem fogo-de-vista!!?

E a dona do bar
A falar das bebidas,
Qu’eram trazidas
De tal lugar!?…

E que par’a próxima vez
Trazia outras,
Que muitas eram poucas
Pr’a tanto freguês!!

E o grande sócio
Com aquele Djay…
Ali como um Rei
Do negócio!??

E em tanta mistela
Não há promiscuidade?
É pura santidade
Tal clientela?

Qu’até o meu amigo
Lá vai degustar,
E promete voltar…
A chamar-lhe um figo!?

Tanta clientela
A aspirar vapores,
De tantos odores
Da boa-vai-ela!!

E naquele bar
Tantos felizes rostos,
Qu’hoje terão “gostos”
Por apagar…

E quem os excluiu
Hoje já não volta,
Qu’o bar não é moda…
Como quem o viu!!

E em tantos convivas
Vai-s’a ver quem é,
E quem não arreda pé
Faz figas…

Reza pr’a qu’o seu
Não seja revisto,
Porqu’o “Evaristo”
Também lhos deu!!

E na correlação
Da roda d’amigos,
Já se tem’o perigos
De tal aproximação…

E quem comeu fiado
De boa clientela,
Terá por bagatela,
Ser “aviado”!!

Joker

cliente

Posted on 10 de Maio de 2016, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s