O “colega”

Somos “colegas”
Em tal postal,
E ele vê mal
Cumprirem-se regras

E por preocupado
Nessa condição,
Não vê razão
Em ser comentado

Faz o que quer,
O que sempre quis,
E de mal se diz
Dá-lo a saber!?

De rosto tapado
Diz-se “colega”,
Mas nunca se nega
Ao “planeado”…

Qu’os bons “colegas”
Tratam-no bem,
Mas não convém
Vê-los às “cegas”…

E s’o cozinhado
Não é suficiente,
Há um contigente
Pr’o refogado!!

E sendo à mão
Faz-se p’la vida,
Pois de fugida
Não se sabe quem são…

Mas por azar
Há quem os descubra,
E quem os encubra
Em tal nomear…

E nesse “problema”
Lá revelado,
Tem-se preocupado
Por ser o tema!!

Queria-se secreto
Esse tal pacto,
E em tal recato
O voo estar certo…

E s’aos “colegas”
Sobrav’o resto,
Niss’o seu rosto
Nota-se a léguas!!

Não lhe dá jeito
Lá estar visado,
E se nisso achado
Não é bem feito!?

E no “braço armado”
Da poesia,
Não vê valia
Por ser culpado!?

Ele é “colega”
E “preocupado”,
Nisto embuçado
Quem o entrega?

E se é inocente
Lá nesse escrito,
Porque aflito
Insiste e mente?

Porque não prova
Não ser verdade,
E à claridade
Dar rosto à nova?

Porque s’esconde
Nessa missiva,
E por inconclusiva
Escrever de longe?

Mostr’o rosto
E neg’os factos,
E diz aos contactos
Qu’é tud’o oposto!?

Sê transparente
Nessa versão,
Diz com razão
Quem nisto mente!?

Dá assinatura
A esses textos,
Mostr’os pretextos
E desenvoltura!

Dá-nos a face
Dessa inocência,
E em transparência
Mostra-te em classe!

Dá a essa versão
Lá nesse púlpito,
E diz-nos, por último,
Que tens razão!!

E chama-nos colegas
Nessa voz viva,
E qu’ela te sirva
No que gaguejas…

E ali à frente
Dessa Assembleia,
Prova qu’a teia
É inocente!!

És aplaudido
Ali de pé,
E em tão franca fé
Não és corrido…

Levam-te em ombros
Como um herói,
E só te dói
Os lombos…

Mas dás a cara
E mais coragem,
E tanta viagem
Não te sai cara…

Mas assinaste
A tua versão,
E és um campeão
Que baste!!

Assina pois
Essas missivas,
Que são seguidas
Por nós os dois…

Mas lá se pensas
Que metes medo,
Reza um credo
Enquant’as pensas!?

Que podes clamar
Até ao Papa,
Que nada te safa
De s’os mostrar!

E depois se vê
O qu’acontece,
E s’o “colega” tece
Outro porquê!?

E se justifica
A quem de Direito,
Que não é perfeito
Mas nunca s’estica…

E depois d’assinar
A notificação,
Ter já presunção
De s’explicar!!

E ao ganhar ortónimo
Nesse documento,
Ter reconhecimento
Em tal rosto anónimo…

Joker

colegas

Posted on 4 de Maio de 2016, in Palhaçadas. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s