Lista Negra

Há todo um registo
De forte padrão,
E forte presunção
De valor promiscuo

Que por lá se soma
Em cada parcela,
E não há esparrela
Neste axioma:

Há todo um uso
De práticas avulsas,
Que já estão reclusas
No seu próprio abuso!

Que bem se demonstra
Nesses privilégios,
Que pr’a uns são régios
E pr’a outros não conta!

Horas a granel
Em bons voos em folga,
E em tod’a esta moda,
Gente com papel!

Que nisso resulta
Fácil demonstrar,
Quem lhes está a pagar
Por moda da “multa”…

Que no Manual
Por lá se consagra,
Como é que se paga
A este pessoal!

A prática reitera
O preceito escrito,
E que niss’o proscrito,
Não s’inteira!

É só pr’a “valentes”
Que estão sempre “OK”,
E naquilo que sei,
Os valores são “quentes”…

E na incidência
Do bom planeado,
Vai-se a tod’o lado,
Só por “coincidência”!

É pois apreciar
Estes silogismos,
E em tais paralelismos,
O “Ok, pr’a Voar”…

Que na demonstração
De tais resultados,
Vão se dar os dados
Desta presunção!

E se na “coincidência”
Desses longos anos,
Não há nisto “enganos”
Nessa frequência!?

Somos todos parvos
Diz-nos o Manual,
E tod’o Homem é igual,
Menos estes “escravos”!

Que sendo inscritos
Na data e destino,
Veem desatino
Se visados por ditos!

Mas isso não nos serve
Sem a boa prova,
E em toda esta “desova”
Há alguém que ferve!

E alguém qu’explique
A quem de direito,
S’o fazer “bem feito”
É ser lista VIP!

E se é natural
Nisto lá existir,
Que quem está a cumprir
Possa estar “ilegal”!?

E nessa diferença
Lá “manualizada”,
Esteja já “optimizada”
A nossa pertença…

A uma outra classe
Que não seja VIP,
E s’esteja na equipe
Que não perdeu a face!

Mas por lista negra,
Em contraposição,
E em que legislação
Se faz disto regra?

É pois legítimo
Este mesmo artigo?
Passo a “inimigo”
Só por não ser íntimo?

Sou da negra lista,
E esse é meu pixar!
E se lá vou “voar”,
Tod’o écran pisca!

Há que ter cuidado
Com tipos assim!?
De feitio ruim,
E já nisto marcado!

E nada pedindo
A que não tenha direito,
Não se dá um jeito,
Qu’o pedido é findo!

E se numa troca
Há pequena colisão,
Há um pronto “não”,
Na ríspida nota…

E se te questionas
P’la “equidade”,
E há disparidade
No que toc’a “Luandas”

Ficas ano e meio
Sem lá pôr os pés…
– Pois, pelo que és,
“Negro” te premeio!

Não me façam rir
Em todo este complexo,
E já não estou perplexo!?
…Estou como hei-de ir!

E não tenho medo
Venh’o que vier,
Pois doa a quem doer…
Disto não se fará segredo!!

Joker

lista_1

Posted on 16 de Março de 2016, in Palhaçadas and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s