Radicais

Qualquer radical
Só procura no extremo,
O seu próprio governo!
A bem ou a mal…

E nisto morre e mata
Como única via,
Daquilo que queria
Em proposta “sensata”…

E nisso não aceita
Outra alternativa!
Não há outra vida
Fora da desfeita!

E por diminutos
Somam violências,
E são nisto potências
Ao semearem lutos!

Ganham a batalha
Porque nada perdem,
E tudo conseguem
Na força da metralha!

Um povo inteiro
Já subjugado!
E o medo instalado
Por valor cimeiro!

Declara-s’o combate
Contr’o inimigo!
Qu’ele muito antigo
Nunca s’o abate!

Pois por radical
Não tem face e rosto,
Mas é o oposto
Do nosso ideal!

Tem motivações
De puro assassino!
E passa, pequenino,
No meio das multidões…

Como lobo em rebanho
Caça como quer!
E é só escolher
Da vítima, tamanho!!

E nisso s’alvita
O orgulho do Estado!?
E está encontrado
O lobo que nele habita!

No seu próprio seio
Nasce o predador,
Mas é o caçador
Que lhe dá o meio…

E nesse alimento
Feito d’ideologia,
Quanta hipocrisia
Vem do sofrimento?

Como s’alimenta
A guerra ao terror,
Sem um espectador
Que nunca comenta?

E que não questiona
Tod’a histeria,
Duma guerra vazia
Que só nisso soma?

Morr’o inocente
À mão dos algozes,
E mostram-se ferozes
No dente por dente?

Pr’a justificar
Os seus próprios erros,
Vão a esses enterros
Propagandear?

A razão do Estado
Tem muitos alcances,
E estes emigrantes
Vão pr’a outro lado?

E no bode expiatório
Faz-se nova purga,
Por mandar a turba
Ao seu próprio velório!?

Um mundo radical
Nas suas pretensões,
Não tem ilusões
Nem qualquer ideal!

Vive da “razão”
Da “sobrevivência”,
E nessa coerência
Tod’a mesma acção!

Esgotam os recursos
Desses deserdados,
E por devastados
Por tão graves abusos…

Todo e qualquer acto
A si se justifica,
Pois qu’o beatifica
Por morrer já santo!?

O que pode perder
Quem já nada tem?
Nem a terra-mãe
Qu’o lá fez nascer?

Este mundo injusto
A si se retalia,
E há nisto outra via
Senão matar de susto?

E nisto obedecer
A qualquer política,
Já qu’a pacífica,
Nos lev’a morrer!?

E pelo terrorismo,
Vendemos direitos!
Qu’eles foram feitos
Por puro lirismo…

Queremos segurança
Contr’os radicais!!
Esses animais…
Chegaram a França!!..

E há que nisto erguer
Já um outro muro!
Que seja mais seguro…
Paris já está a arder!!!…

Joker

Zucker

Anúncios

Posted on 15 de Novembro de 2015, in Atentados, Europa, Guerra, Islão, Morte, Política, Terrorismo and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s