As “guerras” paradas!

Como se não bastasse um maestro, vem em reforço o General
Aquele que votou a favor, das contas do outro "oficial"
Triste e vergonhoso processo, a favor do peludo animal
A que Gordo, no seu fervor, deu a dotação do seu aval!

Nisso se apoiam os Generais, garantindo os seus direitos
Salvaguardado os seus preceitos, unidos no seu casebre
Sustentam-se nos seus avais, entre-ajudam-se, escorreitos
Garantido-se nos seus pleitos, de garantias no ultra-leve!

Sim, um General não se curva, mantém-se direito num fuso
Nem pra se deitar na sub-cave, no seu beliche de luxo
Pra descansar a coluna, alinhada em pródigo obtuso
Mantendo a imagem-chave, depois do trabalhoso influxo!

Um General que se preze, trabalha, dando o exemplo
Não precisa ser orientado, num documento-ordenança
Outros, tratam-nos como plebe, total constrangimento
Assim, não se têm dobrados, com a espinha em poupança!

Depois da "nobre" retirada, de um soldado da batalha
Tomou-se por necessária, uma oficial (re)distribuição
Insistiu-se na asneirada, reconstruiu-se a "muralha"
Da divisa indumentária, entre a Infantaria e a Legião! 

Nisso os Generais gordos, são com'os de bigode d'Hussardo
Vivem no seu principado, na sua messe de Oficiais-Generais
Os outros são carne de engodo, bons para o tiro de petardo
Pra se preservar o seu condado, as suas coutadas "ancestrais"!

Mesmo que se quisessem dobrar, para ordens emitir no exemplo
Não tinham como o fazer, prostrados no peso das suas medalhas
Ordens? Só a vociferar - Tragam-me o meu prendado sustento!
Qu'isto não é para o lazer, vamos é lá a montar as metralhas!

Sim, porque eu estou aqui para apontar, o dedo, não as pistolas
Sim, tenho horror de pólvora, que me sujam os refinados dedos
Outros aqui estão para lutar, com o credo, mas sem as consolas
Qu'os Generais usam de sobra, nas suas "campanhas" de arremedo!

Por isso, seja um General-Barril, ou um General feito maestro
Podem contar com o óbvio, na forma de umas promessas cantadas
Vão "lutar", mas sem fuzil, "guerreando" em seu oficial apresto
Cavalgando em seu consórcio, fazem-se estas "guerras" paradas!

Anúncios

Posted on 13 de Outubro de 2012, in Palhaçadas and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink. 1 Comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s