Golpe de asa

Um pouco mais de sol , e eles eram brasa
Um pouco mais de verde, e eles iriam além
Para o atingir, faltou-lhes um golpe de asa
Se ao menos, eles permanecessem aquém...

Mas não, apesar dos constituintes impropérios
Lançados pelo Maestro, em plena assembleia
Sobre as costas de todos, sem justo critério
Acham-se plenos de autoridade, sem cefaleia.

Queriam aparecer como os salvadores da pátria
Em conluio com os descerebrados directivos
Usando dos Estatutos, com ameaças párias
Tinham-nos como seguros...e garantidos!
.
Sim, que A casa fechava, e era o fim-do-mundo!
Sim, que o nosso passarão iria para o leilão!
Tudo prenúncios de niilismo, de um fim imundo
Catástrofe anunciada, na antecâmara da eleição!

No advento estatutário, se anunciava o genesis
A equipa, quais criadores, modelos imaculados
Por direito natural, se outorgava aos Medicis
A continuidade do mundo, nos seus postulados!

Duplicado o mandato, novos atributos de poder
Vocação financeira, para uma real sindicância
Com sigilo no trato, por contenção no saber
Na gestão de carteiras, de activos d'ignorância!

Assim se outorgam, uma equipa de classe Andrómeda
Conhecem-se uns aos outros, por simples telepatia
Antecipam-se nas acções, uníssonos como na Tropa
De maestro ao comando, em (re)pugnante idolatria!
.
Por tesos, se assumem, dizem eles, os endinheirados
Com revistas cor-de-rosa, em verde alface de campanha
Ao preço de uma baga, que o papel nem é timbrado!
Sem interesses subjacentes, nem evidências patranhas!

Ah! E a grande produção? E a boa da imagem?
Fico tão emocionado, convencido de antemão!
Temos escola! Temos alma! Finalmente, com lavagem!
O pelouro bem entregue, ao careca charlatão!

E depois da tomada física, vem a prova eleitoral
Bem que queriam uma passagem, de testemunho pela mão
Palatina, quase tísica, num modelo tradicional
Laureados nos Estatutos, sustentados na Direcção.

Lista da continuidade, abutres de um poder moribundo
Tomando por garantida, da vitima sindicante, a carcaça
Surpresos na ressurreição, expectantes do estretor infecundo
Nem no aparatoso chiar, lhes sobrará o golpe de asa!...
Anúncios

Posted on 5 de Outubro de 2012, in Palhaçadas and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink. 1 Comentário.

  1. Acho que a Florbela não vai gostar! LOL!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s