Sim, eu sei, eu sei, é o Robocop-Grei!!!

Saca do Facebook mais rápido que o Lucky Luke!!!
Um membro da trupe, de reza, à Senhora de Guadalupe???
Hummm! Cheira-me a embuste, mas nada que preocupe
Pois é hora do “ajupe“, mesmo na encenação do truque!
Palhaço da vida airada, fez da Juventude, prática cristã
Para ascender na manada, proclamando a palavra
Com a prática ordenada, não enjeitou a cousa vã
Pois é dura a jornada, e vale-tudo na Lourinhã!*
Diz-se um homem de toiros, e solta a língua à marrada
Um verdadeiro Mata-Moiros, com a sua espadeirada
Mas esquece-se nos seus agoiros, qu’ele há gente d’outra fornada
Que não entra em morredoiros, nem se revê na Tourada!
Espírito conservador, tem no catolicismo a sua ascese
Reza muito ao Senhor, vem dos tempos da catequese
Para o colocar num andor, para o enviar à arquidiocese
Qu’ele é de um forte fervor, pois pratica a exegese!
Um homem de tradição, pois, um erudito catequista
Um filiado em traição, como determina a conquista
Na boa prática da vocação, do educando intriguista
Consagrando-se-lhe o perdão, porque o sabem alpinista!
Ele é todo integridade, só visa a unificação
Só procura a verdade, mesmo no esconder da mão
Tomando por banalidade, o patrocínio da acção
Mentido por piedade, não por real ambição!
Por isso saca dos fóruns, que lhe projectaram o poder
Voltando a ter os quóruns, para , de novo, ascender!
Escamoteando os incómodos, alimentando o mau-perder
Como que invertendo o ónus, culpando-nos do seu saber!
Sindicalista de gema, político de gabarito
Julgava que com estratagema, acabaria no sítio
Onde se aprovam com lema, as leis em manuscrito
Ele que trazia o emblema, como prova do circunscrito!
Só faltava um novo palanque, de onde se pudesse gaguejar
Pois a freguesia não era o bastante, para continuar a grasnar
Aos ouvintes do seu quadrante, na senda do seu aclamar
Como o defensor navegante, tão fácil de arregimentar!…
Assim se enfeitam de cores, as laranjas no laranjal
Para se manterem bons humores, em caso de arraial
Mesmo com desertores, temos o homem-baptismal
Pois ele é só amores, por quem lhe pinta o mural!
E como recompensa, pelos seus bons préstimos sindicantes
Ainda temos na ementa, mais uns quadros mirabolantes
Engendrando a emenda, com vista aos novos estatutantes
Levamos com esta prenda, mais uns quartos-minguantes!
E enquanto faz retiradas, para si e para restante molhada
Vai seleccionando as entradas, repetindo velhas coordenadas
Qu’isto de grandes jornadas, não é prato de coelhada
Deixá-los gozar a estada, deixando-nos na encruzilhada…
….
E enquanto se arregimenta a lei, num assomo meio frenético
Verificamos que o trólei, a cada dia fica mais assimétrico
Que se resolve com um  Mater Dei, cantado pelo esquélito
Trajado de Robocop-Grei, no mundo do cibernético!
* Nada contra a terra e as suas gentes, a quem aprecio, sinceramente. Esta referência é feita, tão somente, por silogismo e rima..

Anúncios

Posted on 26 de Julho de 2012, in Palhaçadas and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s